30 setembro 2008

Para a minha amiga Ana R.

que hoje faz anos e a quem desejo uma árvore da vida colorida e cheia.
Gosto de ti, agradeço a Deus pela tua amizade!

Gostar de

janelas antigas brancas, portadas e soalho de madeira corrido. A casa dos meus sonhos tem qualquer coisa disto:



29 setembro 2008

Joaquim, dança e seduz.



Senti-me finalmente,

a fazer justiça ao autocolante das famílias numerosas no nosso carro. Com a sobrinha Joana no fim-de-semana cá em casa, eram 4 crianças a viajar e dois adultos. À chegada ao jardim, nunca mais saíam todos de lá de dentro!

Pancadas da Marta

viajar de mão dada.

25 setembro 2008

Dora com barbatanas


A história é um bocado comprida, mas consiste basicamente na promessa que a minha tia fez em Junho, à Maria, junto à piscina, quando viu uma miúda alemã com um exemplar destes. Mal sabia a minha tia que a suposta prenda de Natal ia demorar a achar, chegando há uma semana por correio. Claro que a minha tia Lena não resistiu a ver a reacção dela logo no sábado passado. Quando lhe perguntou se sabia o que tinha dentro do saco, a resposta foi óbvia: "Está aí a minha Dora com barbatanas!" (ou não tivesse a miúda massacrado o juízo da tia-avó de todas as vezes que esteve com ela desde as mini-férias).

Desde então não larga a boneca para nada e inclusivé, perante o meu ultimato ao sair para a Escola, que só podia levar um brinquedo, deixou a Minnie em casa e levou esta boneca. Não só prova como desejou muito esta prenda, mas que também está uma menina crescida.

Porque o pack trazia também os irmãos gémeos da Dora numa bóia, estes ficaram para a Marta, que por imitação gosta de tudo o que a irmã gosta.

Joaquim na escola

Começou a dormir sestas e a ficar mais umas horas. Eu chego e está sempre entretido, quando me vê desata num queixume de desespero, a rir como se de repente se lembrasse que a mãe existe. A professora diz que sabe que quando ele chora é porque tem fome ou a fralda suja.

É esse o meu Joaquim.

Tão iguais, nossa.

Pai: "Vais ser cantora quando fores crescida, não vais filha?"
Maria: "Não, vou ser mãe de muitos filhinhos!"

24 setembro 2008

As caras deles

quando eu chego à Escola para os ir buscar.





23 setembro 2008

Primeiro corte de cabelo




Para hoje.


Saber agradecer as amizades.

22 setembro 2008

Chegou o Outono.

E como eu estaria bem nesta época por aí, em Nova Iorque...


Joaquim, 10 meses




21 setembro 2008

Mãe há só uma.

E a minha comprou-me as primeiras castanhas do ano que tratei de polvilhar com erva doce, cozer e encher a barriga ao serão.

Marta, 22 meses.



19 setembro 2008

Gostar de morar aqui.

Jardim de Oeiras, fim da tarde.

Gostar de

azulejos, candeeiros e janelas.

18 setembro 2008

Um ano!

Há um ano, acordava com a notícia que durante a noite tinha nascido o sobrinho David. A barriga da cunhada Marta, com quem partilhei todo o Verão, finalmente era visível para a família toda. Um bebé lindinho, com uma energia e simpatia proporcionais! Parabéns, David!


Padecer deste mal:

Enxaqueca.

Noites mais estranhas, estas.

Consulta dos 9 meses,

aos quase 10. O Joaquim é o filho mais comprido nesta idade, mas em termos de peso situa-se entre as duas irmãs. Na consulta com uma nova pediatra (a nossa saíu do Hospital e tivémos de recorrer à médica dos nossos sobrinhos) verificamos que a simpatia se alarga aos gabinetes médicos e até à hora das vacinas. Pouca coisa perturba este filhinho e toda a gente se deslumbra com isso. O perímetro cefálico (cabeça) ronda o percentil 100 e no peso e altura estamos no 90.

É grande, o peixinho frito (aka Joaquinzinho).

16 setembro 2008

De braço estendido:

"Queres-me dar um cançonguem?"


(leia-se: "Passou bem?")

Andar na rua com os 3.

Perguntam-me como ando com a criançada, sozinha na rua. Como ficar em casa não é o meu género e temos sempre coisas para fazer, é simples:

Se o sítio é muito movimentado, a Marta vai no porta-bebés às costas, o Joaquim no carrinho e a Maria ao lado. Mas geralmente andamos assim: Joaquim no carrinho, meninas ao lado, agarradas ao mesmo. Por incrível que pareça, é quando vou sozinha com eles que todos se portam melhor!

(Temos um carrinho de gémeos herdado mas como não tem forma de guardar compras em baixo e a Marta já anda muito a pé, acaba por dar mais jeito assim...)


(a fotografia é da minha sogra)

15 setembro 2008

Ainda no Chiado

a Marta tem medo do urso à entrada desta loja.

Sozinha no Chiado, com os três filhos.

A Maria pela mão, o Joaquim no carrinho e a Marta às costas (no porta-bebés), mesmo junto à Brasileira, fim de tarde:

"Isto aqui já não é Portugal, pois não? Tanta gente a falar inglês!"

Um ano depois,

a história repete-se. Marta e Maria, Out. 2007


Marta e Joaquim, Set. 2008

14 setembro 2008

Os dois primeiros dentes de fora.

Descobertos hoje, por acaso, na Igreja.

Há cinco anos,

também era domingo, sei de cor a roupa que vestia e sei que saí de casa para a Igreja a flutuar. O teste que nunca tinha feito na vida confirmava aquilo que o meu corpo ainda não denunciava. Havia um feijãozinho a crescer por aqui. A primeira filha.


 
(testegravidezMaria) 

11 setembro 2008

Sem qualquer ponta de remorso

vasculho na roupa feminina cá de casa o que pode dar para o Joaquim dormir sem lhe ficar ridiculamente curto e de forma a não passar frio. Tinha um urso, era cor-de-rosa, mas servia-lhe. E depois? As minhas amigas têm pena do pequenino macho, mas em casa de miúdas a vida é dura. Para a Escola, a conversa é outra, que o rapazinho não pode ser discriminado. Vai de calções e t-shirt. Sem flores nem folhinhos.


Que estão mais esticadas,

não era preciso que me tivessem dito isso na Escola, mas arrumar o roupeiro e caixas de roupa que na Primavera lhes serviam tão bem, mas que agora lhes faltam, especialmente em altura.

Já só penso nisto:



O quê?

"Eu sei que ainda sou pequena, mas quando eu me casar quero que seja com o C.!"

10 setembro 2008

9 meses de cada um

Maria
Marta

Joaquim


09 setembro 2008

Brincadeiras de primos

Dar as mãos e andar à roda...

... e depois cair ao chão!

(fotografias da cunhada Marta)


Da Maria,

dizem-me que está muito mais crescida, mais segura de si e confiante. Está feliz com a promoção para a nova sala dos crescidos e colabora em tudo.

Da Marta,

a educadora diz que é uma miúda cinco estrelas. Sempre na maior, independente, desenrascada e a alinhar em todas as actividades prontamente.

Hoje,

o Joaquim não chorou na Escola! Iupi!

À 4ª manhã na Escola,

sei -pelo pai- que ficou novamente a chorar, mas quando chego pela hora do almoço para o apanhar vejo-o ao colo deliciado a ouvir uma canção.

08 setembro 2008

No outro dia tentava explicar

que nem sempre as escolhas se fazem porque as podemos fazer. A maior parte das vezes é ao contrário. Tomamos as decisões e depois temos de nos colocar à altura delas. Não deixei de trabalhar porque podia, mas porque as circunstâncias me empurraram a isso. É a história do querer é poder. Se queremos mesmo uma coisa, agimos em função disso. Independentemente das consequências. O que pode acontecer é que nem sempre queremos essas consequências...

07 setembro 2008

05 setembro 2008

Ao fim da tarde,

nasceu o Pedro.Parabéns, Lipa!

(Quase) um ano de diferença




Deixo o meu filho pequenino

na sala dele, acompanhado da Marta, por instantes. Os bebés berram por todo o lado e só o vejo sentado no tapete a fazer beicinho e a chorar também. O ar confuso da Marta no meio daquele aparato era a única coisa hilariante. Despeço-me deles, debaixo da imagem da minha filha gordinha a fazer festas na cabeça do mano bebé.

O desafio

ao ir buscar o Joaquim à Escola às 11h30m, todos os dias, é não ser vista pela Marta -na sala ao lado- e pela Maria, a caminho do refeitório. Depois de ter percebido que com a Maria seria muito complicado porque a essa hora ela pode estar na casa-de-banho ou por ali, expliquei-lhe que era provável ver-me e o porquê.

Ao chegar para buscar o Joaquim encontro-a com os colegas no corredor, a caminho do almoço. Cumprimentou-me com dois beijos e disse-me um "Até logo" e seguiu a vida dela. Que orgulho de filha!

04 setembro 2008

2º dia de Escola

O Joaquim chora por contágio, a sala de transição em que se encontra tem na sua maioria bebés que também são novos na Escola. A sinfonia de choro de manhã é estridente. Quando regressei para o apanhar, pelas 11h30m, estava quase a adormecer e segundo me disseram esteve bem, riu, brincou e comeu bem.

Marta, a oração da noite.

(ao mesmo tempo que se lambuza em ananás)



No fim do 1º dia de Escola

as miúdas estavam insuportavelmente asneirentas, a rir por coisas sem sentido e numa excitação que só visto. Também elas gostaram de voltar à rotina.

03 setembro 2008

1º dia de Escola

dos três filhos.

A Maria é uma joaninha, a Marta uma formiga e o Joaquim um sapinho.

A Maria e Marta chegaram tímidas mas num instante se instalaram no recreio e espaço conhecido. As salas são diferentes e as professoras também, mas o balanço no fim do dia foi óptimo. Estão crescidas, dizem por lá.

O Joaquim, bom...chorou ao ficar e quando eu cheguei uma hora depois, berrava a plenos pulmões, apesar de ter almoçado bem. Fez beicinho quando me viu. Nos próximos tempos irá só este pedacinho pequenino de dia, até se ambientar a toda a confusão.

Gostar de móveis antigos


Quinta da família Rego, Repeses-Viseu.


02 setembro 2008

Ainda das férias

com o meu irmão e companhia. Com as crianças em maioria, muito barulho e ares de interrogação por onde passávamos.


Sai ao pai.

Ao dizer-lhe que tenho uma surpresa, a Maria fica entre a curiosidade e um não parar de perguntas e a angústia do desconhecido.

01 setembro 2008

Deitada na relva,

a contar nuvens, o fresquinho do fim de tarde, o barulho ao longe, os olhos a quererem fechar, a respirar devagar, as vozes deles a brincar e:

"Mamã, vou fazer de médica e se quiseres faço-te massagens na barriga, é que estás um bocadinho inchada. Ah, já sei, é do meu outro mano chamado João."