30 outubro 2009

Coisas que dificilmente ouviríamos noutra Escola.

Claro que no dia a seguir a darmos a novidade cá em casa, a Maria contou a quase toda a gente na Escola que ia ter irmão (que por acaso ela quer que seja uma irmã). Eu perguntei-lhe como tinham reagido, e ela:

"Disseram assim: isso é muito bom, Maria, graças a Deus!"

Diferenças

a Maria e Joaquim dormem com almofada, a Marta recusa-se a dormir com almofada.

29 outubro 2009

Rapazinho

É muito raro levá-los à Escola de manhã (é geralmente o pai) e quando os apanho nem sempre me cruzo com todas as professoras. Ontem levei o Joaquim e, para além de apreciar o ar dele de mimo quando corre para o colo da educadora, fiquei a saber que lá ele é como em casa: um autêntico papagaio. Não se cala, o dia todo.
"Anda na vida dele, não dá trabalho, mas repete tudo o que dizemos. Ou fala sozinho, a brincar."

E fiquei também a saber que já não usa chucha nem para dormir a sesta desde o mês passado.


Marta, quase 3 anos:

"Sabes, eu sou uma simpática, mamã! (pausa) foi, disseram assim: A Marta é uma simpática!"

(Depois fiquei a saber que lhe disseram isto na Escola.)

28 outubro 2009

Chatarrona.


As duas a ver a Heidi, na fase em que se encontra em Frankfurt com a Fräulein Rottenmeier.

Maria: "Esta mulher é muita chata!"

Marta: "Pois é. Cala a boca, senhora!"


Petiscos favoritos

Sempre que fico sozinha com a Maria, não há hesitações no que vamos comer: batatas, cenouras, brócolos, ovo e atum. Com azeite.


27 outubro 2009

Reacções

Ao quarto filho, todos se alegram connosco, já ninguém demonstra surpresa. Parece que já nos tinham incluído na categoria dos loucos e todos esperavam.

Loucos e felizes, devem achar. :)

26 outubro 2009

Quatro (4)


Quando descobre que vai nascer outro filho!

É em Maio de 2010 que seremos 6.


25 outubro 2009

Lição de domingo:

O arco-íris lembra às pessoas que o amor de Deus não tem fim.


23 outubro 2009

Quando

estou prestes a acabar um trabalho, nem sempre tenho na mira mais algum. Tenho colaborado com diferentes entidades, muitas delas com projectos específicos e que, por isso, nem sempre têm mais material para me passar. Mas o que tem acontecido, é que quando penso que vou estar parada, surge novo. E por diante, tem sido assim desde há um ano, quando o Joaquim entrou na escola e comecei com esta vida em casa.

A minha mãe sempre me disse que quando damos provas da nossa competência, que recebemos a recompensa disso, e eu sei que é verdade (a sorte pode abrir uma porta, mas não segura eternamente quem não se esforça). Ainda assim, não me canso de agradecer a Deus, porque sei que é Ele que me vem mostrando este caminho.

22 outubro 2009

Filho doentinho

No dia em que faz 23 meses. Hã? Está com quase 2 anos?


A minha frutaria.




21 outubro 2009

Acontece-me muitas vezes,

amigas ou conhecidas, me dizerem a propósito desta vida que eu escolhi:

"Nunca imaginei que conseguisses ficar em casa, isso não dava para mim, dava em maluca!" ou ainda: "Eu preciso de mais!"

Nessas alturas, a minha pequena pessoa desfaz-se em justificações que não levam a nada, porque a vida é minha.

E ainda que tudo se resumisse a essa coisa tão redutora como esse conceito de felicidade, eu poderia responder que não as invejo. Porque olho para o que tenho à minha frente e não vejo que essas pessoas, atarefadas em horários e correrias, sejam mais felizes.

Tão e só isto.

O meu irmão mais novo vai casar.

E o grande dilema da Maria é: "Mas eu não consigo tratar a Selma como tia. A Selma é a Selma!"

Lol.

20 outubro 2009

Fotos possíveis em modo auto com 3 crianças



Embora nem sempre concorde.

Às vezes, uma imagem vale mesmo mais do que mil palavras.

19 outubro 2009

Ciumeira


A Ester foi e será sempre a prima crescida da Maria, e que a acompanhou de uma forma muito próxima desde que nasceu. Teve sempre uma paciência enorme para todas as fases dela e são grandes companheiras. No fim-de-semana que passou, a Maria viu-a acompanhada de um rapaz na Igreja e, apesar de nenhum de nós ter feito nenhum comentário acerca disso, a Maria apercebeu-se que não devia ser só um amigo.

Veio perguntar-nos e, perante os factos e a confirmação da prima, passou por várias fases: vergonha, fúria, nervos, tudo de grande ciumeira. Veio para casa inquieta "Estou furiosa com a Ester, aviso já que eles não entram no meu quarto!". Sempre que nos riamos perante um cenário que não esperávamos, ela endurecia ainda mais. Dizem que são dores de crescimento. Vais ter tantas destas, filha...

Na sexta-feira,

fui com os 3 filhos buscar o sobrinho Tomás à Escola. Para além do orgulho dele de ser recebido assim por nós, tive pena de não fotografar aqueles 4, em plena rua movimentada da Estrela, de mãos dadas e felizes.

16 outubro 2009

O meu canto abrigado

Todos os dias.




15 outubro 2009

Ida ao oftalmologista

com o Joaquim, que entorta os olhos (um mais do que o outro) frequentemente, na presença de objectos mais próximos. O médico diz que ele não tem estrabismo, mas uma coisa que se chama pseudo-estrabismo, que se define assim:

"Uma vez que os ossos próprios do nariz ainda não estão formados, existe um epicanto em cada olho, aparentando assim uma convergência dos eixos visuais. No entanto, os reflexos queráticos encontram-se centrados, pelo que se considera um falso estrabismo. Não necessita de tratamento pois esta alteração regride com o crescimento da criança."




Sister in law

Acho que nunca falei aqui da minha cunhada Marta, casada com o meu irmão a seguir a mim, o Tiago. Andei à procura de significados que tenham dado origem a esta designação: cunhada. Mas dou comigo a pensar que os americanos é que estão certos. Sister in law faz muito mais sentido, pelo menos para mim.

Felizmente posso agradecer a Deus por ter gente que entrou na família e que é realmente parte dela.


14 outubro 2009

Para quem não viu e pediu

Começa clicando aqui, aos 18 minutos e 33 segundos. As miúdas fartam-se de rir com a Maria a mostrar as cuecas para a televisão.

12 outubro 2009

Nova mania do Joaquim

Cumprimentar todas as pessoas que encontra na rua, todas. Diz "Olá!" ou "Adeus!" consoante lhe apetece, mas a maior novidade é que todos os senhores com mais do que 50 anos foram promovidos a "Avô". "Olá, Avô!" a qualquer desconhecido desperta o mais variado tipo de reacções.

Vejo aqui um coração. Pode estar a desfazer-se ou a formar-se. Ou a diminuir ou a aumentar. O que eu gosto no céu, é que nele podemos ver o que queremos, fazer caber todos os nossos sonhos, todos os nossos desenhos, sem que para isso saibamos pegar num lápis e ser artistas.
Vejo muitas coisas no céu, às vezes ando só por lá. Nas nuvens.




(foto tirada da janela da minha cozinha)

Um dos meus maiores medos.



10 outubro 2009

Nada que eu não soubesse

A mais velha ouve mal. Já há muito que o dizia, pelos "hã?" constantes e por falar um bocado mais alto que o desejável. Nos próximos tempos combateremos a cera que se lhe acumula nos ouvidos e desejamos que, se o frio tiver que chegar, que venha para ficar. Já não há paciência para estas mudanças de temperatura que só trazem espirros e indefinições no roupeiro.

08 outubro 2009

A Marta

é muito contemplativa, quando estamos em algum lado à espera fica a olhar para as pessoas, a ver tudo. Na fila do supermercado, uma senhora atrás de nós esperava a sua vez de braços cruzados, a olhar para o chão. Depois de ficar a olhar para a senhora mais de um minuto, pergunta-me em tom preocupado: "Mamã, porque é que esta senhora está triste?"

(risada geral, claro.)

Joaquim, quase 2 anos

Tentar dizer o nome completo com muito sono e uma irmã mais velha sempre a gozar, é complicado...


A Marta pegou-me a conjuntivite da semana passada

mas eu tenho estado 30 vezes pior do que ela alguma vez esteve. Isto dói.




Que ela está alta

toda a gente repara, e eu bem vejo o tamanho dela no recreio da escola. Esticadinha, muito. Mas as roupas são a maior denúncia. Basta ver como lhe ficam os pijamas do Inverno passado: ridículamente curtos.


Brincadeiras preferidas

para além de bolas e de carros, o Joaquim passa muito tempo a alinhar os animais, a fazer os sons, a arrumá-los na caixa.



Músicas que nunca me canso de cantar

"Bom é o Senhor para os que esperam nele
Bom é aguardar a sua salvação
Suas misericórdias são o que me sustenta
Elas se renovam todas as manhãs
As misericórdias do Senhor se renovam sobre mim (ti)
As misericórdias do Senhor se renovam, não têm fim
A minha porção é o Senhor
Portanto nele esperarei.
Grande é a sua fidelidade!"

05 outubro 2009

O nosso primeiro domingo


de manhã na "Igreja pequenina" (segundo a Maria). Apesar de no caminho ainda me parecer estranho e a Maria insistir que só queria ir para aquela Igreja à tarde, correu tudo muito bem. São Domingos é bonito ao acordar, éramos 16 pessoas reunidas.

04 outubro 2009

Júlia, 1 ano


Ainda gostava de saber como é que este ano passou tão depressa, à velocidade que esta sobrinha demonstra sempre ter. Não pára quieta, sempre atenta e tudo e todos. É uma riqueza, parabéns Júlia!

02 outubro 2009

De 2 em 2 meses


compro a embalagem que custa 5,49€ e teimo em disfarçar os - cada vez mais - cabelos brancos. Espero o tempo que é suposto e no final confirmo se ficou bem. São sempre os mais recentes, os mais curtos, que teimam em ser pintados.


Há novidades na loja.




Clicar aqui.

Bem-vindo, João.



Que a vida te proteja sempre assim aconchegadinho, é o meu desejo.

01 outubro 2009

Lar, doce lar.

A bebé Clarinha, cujo nascimento foi acompanhado com alguma reserva, por ter nascido apenas com 28 semanas, teve hoje alta do Hospital para ir ter com os pais e a irmã. Coincidência, ou não, vai para casa na semana em que era suposto ter nascido.
Depois de 81 dias a pedirmos a Deus pela vida dela, hoje foi tempo de agradecer.

Caravela









Cresci a ir a acampamentos evangélicos, estilo colónias de férias do nosso meio. Há vários pelo país, e entre Ericeira, Carrascal e Vila Nova de Milfontes, este último era o meu preferido. Comecei a ir ainda era bebé, o último ano em que fui tinha 14 anos. Depois disso, fechou. Contudo, hoje o sítio ainda existe mas, por interesses que não são para aqui chamados, está ao abandono. Eu sei que é só um sítio, mas custa ver um local onde fui tão feliz neste estado.

Faz-me doer o coração.

Dois dias em casa com a Marta

Se com a Maria em casa, o desafio é que não apanhe uma overdose de desenhos animados e me esquecer que ela está comigo, com a Marta é o oposto: apesar de se entreter muito tempo sozinha a brincar, está sempre a pedir para irmos dar uma volta e a precisar de acção. Apesar de em muito ela me lembrar a minha irmã Raquel (fisicamente e na sua reguilice/meiguice) tem uma coisa muito aqui da mãezinha: ver televisão nunca dura mais de 5 ou 10 minutos. Ou desistimos, impacientes, ou adormecemos.



(foto tirada ao computador)