30 maio 2011

Serão diferente

Na sexta-feira, o Joaquim foi dormir a casa dos primos Rúben, David e Tiago. Nós resolvemos fazer um serão diferente: hamburgueres no pão, comidos no chão da sala, enquanto viamos um filme.





Ao domingo cantamos juntos.

De glória em glória te vejo
Quanto mais te conheço
Quero saber mais de ti!
Deus meu, tal como o oleiro
Quebranta-me, transforma-me,
Sim, molda-me à tua imagem, Senhor.

Quero ser mais como Tu!
Ver a vida como Tu!
Transbordar do Teu Espírito
E reflectir no Mundo o Teu amor.

Tradições de família


A receita é de família, e vem da minha avó. Não há tarte como esta.

29 maio 2011

II Samuel 22:31-34


"Os caminhos de Deus são perfeitos
e as promessas do Senhor são dignas de confiança.
Deus protege os que nele confiam.
Pois não há outro deus, além do Senhor,
nem rochedo de protecção além do nosso Deus!
É ele o Deus que me dá força
e torna perfeito o meu caminho."


28 maio 2011

Conforto na verdade

Os anos 90 foram há 20 anos, e há 20 anos eu era adolescente (pasmem-se, que eu também me pasmo quando faço contas destas). E esta música é dessa altura, e eu gosto muito dela. Ninguém conhece e o meu coração como Deus. Tão assustador como reconfortante.



27 maio 2011

De quando amigos vêem nuvens e se lembram de mim.

É bom.



Serviço informativo.

Desde o final do ano passado que temos uma máquina Dolce Gusto. Queríamos uma máquina que fizesse mais do que um simples café, porque temos gente frequentemente cá em casa e não há como um bom capuccino ou chocolate quente em pleno Inverno. Diziam os entendidos (ou esquisitos?) do café que não era grande coisa, mas eu por acaso gosto muito.

Até agora havia duas variedades, mas desde que resolveram acrescentar outras marcas de café, é que estou verdadeiramente fã. E isto com a vantagem de poder comprar no Recheio, onde estas cápsulas são bem mais baratas!

E para o Verão:




Ida ao Zoo

Já estava combinado desde o aniversário da Maria, e no sábado passado a Nice e Rita levaram os nossos três crescidos ao Zoo de Lisboa. Acabou por calhar bem, eu tinha chegado do Hospital eram 4 da manhã e mal me aguentava em pé. Eles deliraram, claro. Fica aqui um pequeno excerto da (grande) reportagem que a Maria fez:








☁ ☁ ☁ ☁ ☁ ☁ ☁



da janela da minha cozinha.

26 maio 2011

Uma semana depois

da minha primeira ida às urgências, prefiro não me lembrar de algumas cenas tristes (as desvantagens de ter ficado o tempo todo no Balcão de Medicina, a assistir a tudo) mas recordar-me das cenas surreais, tal como:

da quantidade inqualificável  de gente que uma família de ciganos consegue juntar no mesmo espaço, graças à matriarca da família estar com uma cólica renal (e de como choram e gritam e gesticulam).

Ou talvez de me relembrar do senhor que, sempre que acordava, insultava o mundo inteiro, para no segundo depois adormecer profundamente.

Ou do sem-abrigo que se finge doente, faz a triagem e fica fictíciamente na sala de aerossóis a ser medicado, isto é, a dormir (e de na passagem de turno isto ser referido, entre enfermeiros).

Ou de como às 3 da manhã dei comigo na casa-de-banho a ajudar uma senhora que se aguentava melhor em pé do que eu.

Ou da cena de uma mulher alterada e drogada que não queria estar na mesma sala de espera e dos gritos de outra alucinada: "Ai, filha, deves ser melhor que à gente, deves!"

E mais.

24 maio 2011

Um bicho.

Foi no que me tornei nos últimos dias. Uma comichão que depressa se converteu numa pele irritada, cheia de relevos e vermelha. Uma sensão de queimado, que depois dói. Fiquei a ter a certeza, 15 anos depois, que quando se é mesmo um doente urgente, não esperamos em sala de espera nenhuma e somos logo atendidos (Hospital S. Francisco de Xavier, excelente). Os enfermeiros tomaram sempre a iniciativa de me colocar catéter e tirar sangue ainda antes de ser vista pelos médicos, e isto tudo junto nunca demorou mais do que dez minutos. Foram duas partes de noite e uma tarde, sempre a mudar de medicação para combater uma reacção alérgica que - excluindo outras hipóteses - pode ser ao Sol.
Agora ando a tentar recuperar de muitos sonos perdidos. Menos inchada e ainda dorida, mas melhor.

(E aguardo consultas de especialidade).

Obrigada a quem tem estado e se tem preocupado. Sabe bem!




19 maio 2011

homens



Horta da Escola

Ontem quando chegámos à Escola, tinhamos à venda alfaces e hortelã da horta que é mantida pelo C.A.F. (Apoio à Família, da Ass. Pais, para as crianças que têm de entrar antes e sair depois do horário normal da Escola). Desde o início do ano que estes alunos mantêm este espaço e têm consumido no refeitório alguns dos produtos que plantam. Mas ontem foi a nossa vez de trazer para casa!



Conversas ao jantar

Depois de se falar da diversidade de animais presentes no Jardim Zoológico, o meu filho Joaquim, do alto dos seus 3 anos e meio, confidencia o que mais gostava de ver: cães.

Na semana passada fui a Lisboa

levei a máquina da minha filha e apanhei estes instantâneos, dentro do carro.






18 maio 2011

Pessoas especiais, em dias especiais

Ontem foi dia de celebrar a vida de uma das nossas "filhas adoptivas". Inventei um bolo de iogurte em 3 camadas com as cores preferidas da Nice (rosa e roxo) e dizem que ficou bom (bonito tenho a certeza).
Feliz vida, querida Nice!








17 maio 2011

Em atraso

Do 1º aniversário do Caleb






Coisas que não se pensam antes de ter filhos

A vantagem de ter uma cozinha com vista para a sala. Se estou sozinha e os quero controlar, basta fechar a porta do corredor que posso estar a cozinhar e a vê-los.




16 maio 2011

Ao domingo cantamos juntos.


Bênção e honra
Poder e glória
Pertence ao eterno Deus
Todos os povos, Criação Sua
Adorai ao eterno Deus

Toda a língua confessará
Sua grande glória
Todo o joelho se dobrará em louvor
Serás exaltado, ó Deus
E o teu Reino não passará
Ó eterno Deus

Reinará sobre toda a terra
Cantai ao eterno Deus
Nada há como a Sua Palavra
Cantai ao eterno Deus