30 novembro 2011

Quero o meu bebé de volta!



"A cura está em tuas mãos"


Este ano, este coro teve especial significado para mim. Doenças próximas de pessoas que prezo muito, levaram-me a clamar muitas vezes a cura. Sabemos que Deus cura, se e quanto entende.
Vale-nos a Sua Graça, que flui sem parar, como um rio.

"Não há como Tu
Ninguém mais toca meu ser como Tu
E por toda a eternidade eu sei
Senhor, não há como Tu!

Como um rio a Tua Graça flui
A cura está em tuas mãos.
Seguro em teus braços o aflito está
Não há como Tu!"

29 novembro 2011

Terrível.


































Eles são bonitos, fotogénicos, derretem o olhar. Eu já tive melhores dias (é a vida).
Na foto em que até fico bem, eles estão todos com este ar. Misericórdia!

Conjugações perfeitas.

Quando era miúda, tinha a mania que não gostava de cravos. Felizmente, passou-me.
Mas cornucópias e florinhas, é paixão antiga.



Isaías 64:4

"Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera."

E por falar em livros

Recomendo vivamente estes, da Lara. Estou fã.



Grufalão, o super-cristão.

Quando o Joaquim foi operado, o nosso amigo Filipe ofereceu-lhe este livro. Foram dias, foram semanas a contar esta história, até o Joaquim saber todas as frases de cor. Hoje de manhã, a história mudou.

"Então o Grufalão disse (e começa a música): Estou seguindo a Jesus Cristo, deste caminho eu não desisto...Estou seguindo a Jesus Cristo, atrás não volto nunca mais!"

27 novembro 2011

3 semanas a escrever para mim, sozinha

e volto a abrir as portas do estaminé.

Ao domingo cantamos juntos.

Hoje foi o primeiro domingo do Advento.  Um dia, todos dobrarão o joelho e reconhecerão Deus como o Senhor de tudo.
Não há outra forma de o dizer: nesse dia, não haverá mais o poder de escolher se acreditamos ou não.



Vem, hoje é tempo de adorar!
Vem, entrega-Lhe o teu coração!
Vem, tal como estás para adorar!
Vem,  diante de Deus tal como estás!
Vem!

Toda a língua confessará: tu és Deus!
Todo o joelho se dobrará.
E o maior tesouro será para aqueles
Que te aceitarem já!


26 novembro 2011

25 novembro 2011

É isso!




Marta Cavaco, 5 anos quase no final da consulta de oftalmologia:

"Olha, podem ficar a conversar, mas eu preciso de ir fazer xixi está bem?" isto enquanto abre a porta e sai.

24 novembro 2011

Dia de acção de graças

Sou muito agradecida por tudo o que tenho e me acompanha. Se há coisa que peço muito a Deus é que nunca veja em mim ingratidão. Mas participar de uma tradição como esta, eu gostava muito.



Love Her More and Love Her Less

John Piper

For Karsten Luke Piper
At His Wedding to
Rochelle Ann Orvis
May 29, 1995


The God whom we have loved, and in
Whom we have lived, and who has been
Our Rock these twenty-two good years
With you, now bids us, with sweet tears,
To let you go: "A man shall leave
His father and his mother, cleave
Henceforth unto his wife, and be
One unashaméd flesh and free."

This is the word of God today,
And we are happy to obey.
For God has given you a bride
Who answers every prayer we've cried
For over twenty years, our claim
For you, before we knew her name.

And now you ask that I should write
A poem - a risky thing, in light
Of what you know: that I am more
The preacher than the poet or
The artist. I am honored by
Your bravery, and I comply.
I do not grudge these sweet confines
Of rhyming pairs and metered lines.
They are old friends. They like it when
I bid them help me once again
To gather feelings into form
And keep them durable and warm.
And so we met in recent days,
And made the flood of love and praise
And counsel from a father's heart
To flow within the banks of art.

Here is a portion of the stream,
My son: a sermon poem. It's theme:
A double rule of love that shocks;
A doctrine in a paradox:
If you now aim your wife to bless,
Then love her more and love her less.
If in the coming years, by some
Strange providence of God, you come
To have the riches of this age,
And, painless, stride across the stage
Beside your wife, be sure in health
To love her, love her more than wealth.

And if your life is woven in
A hundred friendships, and you spin
A festal fabric out of all
Your sweet affections, great and small,
Be sure, no matter how it rends,
To love her, love her more than friends.
And if there comes a point when you
Are tired, and pity whispers, "Do
Yourself a favor. Come, be free;
Embrace the comforts here with me."
Know this! Your wife surpasses these:
So love her, love her, more than ease.
And when your marriage bed is pure,
And there is not the slightest lure
Of lust for any but your wife,
And all is ecstasy in life,
A secret all of this protects:
Go love her, love her, more than sex.

And if your taste becomes refined,
And you are moved by what the mind
Of man can make, and dazzled by
His craft, remember that the "why"
Of all this work is in the heart;
So love her, love her more than art.
And if your own should someday be
The craft that critics all agree
Is worthy of a great esteem,
And sales exceed your wildest dream,
Beware the dangers of a name.
And love her, love her more than fame.
And if, to your surprise, not mine,
God calls you by some strange design
To risk your life for some great cause,
Let neither fear nor love give pause,
And when you face the gate of death,
Then love her, love her more than breath.
Yes, love her, love her, more than life;

O, love the woman called your wife.
Go love her as your earthly best.
Beyond this venture not. But, lest
Your love become a fool's facade,
Be sure to love her less than God.
It is not wise or kind to call
An idol by sweet names, and fall,
As in humility, before
A likeness of your God. Adore
Above your best beloved on earth
The God alone who gives her worth.
And she will know in second place
That your great love is also grace,
And that your high affections now
Are flowing freely from a vow
Beneath these promises, first made
To you by God. Nor will they fade
For being rooted by the stream
Of Heaven's Joy, which you esteem
And cherish more than breath and life,
That you may give it to your wife.
The greatest gift you give your wife
Is loving God above her life.
And thus I bid you now to bless:
Go love her more by loving less.

Filhinhas


Pela lente da Vera.



Dia de acção de graças

Os meus filhos estão tão à frente nesta matéria de gratidão que quando oram, agradecem pelos doentes.

23 novembro 2011

A felicidade de ter 4 anos




Estava feliz, a gozar o dia dele com tudo o que tinha direito.

Salmos 19:1-8


"Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite.
Não há fala, nem palavras; não se lhes ouve a voz.
Por toda a terra estende-se a sua linha, e as suas palavras até os confins do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol,que é qual noivo que sai do seu tálamo, e se alegra, como um herói, a correr a sua carreira.A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até a outra extremidade deles; e nada se esconde ao seu calor.
A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.
Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos."


22 novembro 2011

My little Jack.

Recordo-me como se fosse neste instante, do sentimento que tive quando vi um bebé de 12 semanas e 5 dias no ecrã ecográfico, sem saber que estava grávida. Não foi o Joaquim que eu vi ali, foi um empecilho à minha vida. Desejei muito que ele não existisse, que fosse um engano. Estava sozinha, e quando me levantei da marquesa, queria gritar e chorar, mas não podia.

Quando liguei ao Tiago, numa calma mal disfarçada, desejei desespero do outro lado. Reacção que ele não teve. Andámos uma semana aqui em casa muito calados. Chorei muitas lágrimas, até começar a desejar soluções. Despedir-me do meu emprego foi um alívio, enfrentar as reacções das pessoas um grande desafio. Com a gravidez do Joaquim, enfrentei pela primeira vez problemas na minha saúde, que se repercutem até hoje. A chegada dele foi um bálsamo, às 35 semanas. Foi sempre um bebé muito calmo, e perdoei-me por todos os sentimentos que tive, assim que o vi.

Os meses que se seguiram foram muito cansativos, mas também muito felizes. O meu casamento ganhou uma consistência que nunca tinha tido antes e ficámos mais unidos do que nunca. A chegada do Joaquim permitiu-nos aprender muitas lições, mas a maior de todas é que não existem conceitos, ideais, planos que Deus não possa virar do avesso e torná-los harmoniosos.

O Joaquim é um miúdo doce, que encanta por onde passa. Ainda hoje, na sua virilidade, quer colo e mimos. Fica feliz com coisas muito pequeninas, e emociona-se quando lhe oferecem prendas. É o nosso primeiro rapaz e enche os nossos dias de luz, muita luz.










21 novembro 2011

Ter 5 anos

"Mamã, eu gostei muitos dos meus bolinhos, eu já tenho mesmo 5 anos não é?"




Há 5 anos,

tinhamos chegado às 39 semanas e 2 dias. O parto, seria o mais possível natural e diferente do da Maria. Aguentei como pude até à última, e quando chegámos ao Hospital, a fazer-se noite, sabíamos que nasceria ainda naquele dia. Eram 23h15m quando a colocaram em cima de mim, com um cordão à volta do pescoço e com um nó verdadeiro, mas de uma forma maravilhosa, feliz, perfeita. A Marta ficou junto a mim desde o primeiro instante e nunca mais nos separámos. Era morena, refilona (o alívio de ouvir um bebé chorar ao nascer, é indescritível), e inundou-nos de felicidade, revestida de tranquilidade à nossa casa. A Marta trouxe consigo uma alegria em viver, e uma forma de estar que pauta pela partilha. Hoje pela manhã, depois de receber a nossa prenda, saiu para a escola, deixando que o Caleb ficasse com ela na mão, a brincar. A Marta ensina-me muitas coisas todos os dias, mas ensina-me sobretudo que a generosidade é do tamanho que nós quisermos.










17 novembro 2011

Da ignorância.

Anda tudo muito chocado com um vídeo que passou sobre a falta de cultura dos nossos universitários. Não entendo o choque, ou tenho imenso azar. Todos os dias me cruzo com gente mal formada, que fala mal, que não articula um discurso decente sobre o estado do nosso país. Para além de que esse vídeo repete diversas perguntas mas a um público muito limitado. E sabemos que qualquer pessoa entra na Universidade, basta poder e ter acabado o 12º ano. Algumas destas pessoas que se escandalizam com este vídeo, se preciso for ensinam a futura geração e dão erros ortográficos. E isto, sim, preocupa-me.

16 novembro 2011

Festa na Kidzania

Foi a 5ª vez da Maria, a 2ª da Marta, e a 1ª do Joaquim. Eu também nunca lá tinha entrado, e a curiosidade era mais do que muita.

A Maria, talvez por conhecer demasiado bem tudo, perdeu boa parte do tempo a pesquisar nos computadores de corredor onde estava quem (através das pulseiras electrónicas), a Marta desprendeu-se do grupo e fartou-se de trabalhar e amealhar ( o espírito dela de autonomia chega a ser comovente), o Joaquim tirou a carta de condução e chocou contra algumas árvores. Foi divertido e eu só repetia: "Por que é que no meu tempo não havia nada disto?"
















15 novembro 2011

Na semana passada,

enquanto fazia as minhas leituras da manhã, ia ver qual era o pensamento do dia. Nem de propósito, veio mesmo a calhar. Quantas vezes me achei "menos" porque me comparava sempre com outros. Deus quer humildade, não quer pessoas que se sintam diminuídas. Porque a verdade é que podemos tudo, somos capazes de tudo, superamos tudo, quando é Cristo que nos fortalece.



Alguém que acredite que Deus não existe,

acha mesmo que esta conjugação de nuvens e lua são um acaso qualquer cósmico?



14 novembro 2011

13 novembro 2011

Baptismo

Há 23 anos dava um passo muito importante para mim: baptizava-me. Apesar de ter sido educada na Igreja e de crescer com a Bíblia como o livro principal, recordo-me perfeitamente do dia em que a morte de Jesus na cruz me tocou no coração e me convenceu da minha necessidade de o aceitar. No dia 13 de Novembro de 1988 estava muito frio, a água também (porque é colocada de véspera, não vá faltar no dia) mas foi um dia muito feliz para mim, o começo de uma caminhada que só foi possível até aqui, com a graça de Deus.



11 novembro 2011

Acho um papel no chão

e é mais um papel da Maria, com histórias e desenhos, aos quais já perdi a conta. Tem título e tudo. Diz assim:

O livro

Hoje a princesa estava a ler um livro enquanto um príncipe estava ao resgate. O príncipe Filipe chegou para o castelo da princesa Rita e a Rita disse:
- O que estás aqui a fazer?
- Eu estou à procura desse livro. Tu queres vir comigo para o meu castelo? - pergunta o príncipe.
- Sim, está bem, eu vou contigo. - disse a princesa.
Então eles os dois viveram felizes para sempre.
Fim.

Querer trazer para casa uma nuvem, como quem apanha uma flor.

Lengalengas

Das minhas preferidas, que eles decoraram na escola:

"Xica Larica da perna alçada
comeu uma galinha a semana passada;
mais houvesse mais comia.
Adeus meus senhores, até outro dia!"

10 novembro 2011

Foi há 12 anos, na Marginal.



"Tu já tinhas um nome, e eu. não sei se eras fonte ou brisa. ou mar ou flor.
Nos meus versos chamar-te-ei amor."

Eugénio de Andrade